Brasil · São Paulo

Fim de semana em São Paulo com crianças

Num feriadão aproveitamos o preço interessantíssimo da passagem para ir a São Paulo. Essa é uma cidade que já estava no meu radar há tempos, pois há muito o que fazer – tanto com minha criança quanto sem ela. Conseguimos conciliar uma viagem de família e lá fomos nós!

Nosso roteiro, que vou centralizar aqui nesse post, foi o seguinte:

1º dia – Museu Catavento, refeição no Vento Haragano e passeio na Oscar Freire

IMG_1921 (1)

O Museu Catavento é um lugar de parada obrigatória para quem tem crianças. Falei com mais detalhes aqui. Entramos por volta das 11h da manhã, e saímos praticamente expulsos, ao fechar das portas. Por isso, optamos por um “almojanta”, como bricam: aquele almoço que é tarde e serve de jantar também. Fomos à churrascaria Vento Haragano. Ela, além de ter uma boa reputação, tem uma brinquedoteca, o que faz toda diferença para um grupo de quatro adultos e quatro crianças.

Chegamos naquele horário meio barro, meio tijolo (quase 18h) que foi bom por um motivo: não havia fila. De acordo com o nosso atendente, na hora do almoço a fila é grande – eu já disse que detesto fila para comer? Pois é… Chego nesse ponto mais abaixo…

Comemos super bem! O atendimento foi muito cordial, e a comida é de excelente qualidade. Para quem curte um bom rodízio, recomendo.

Saímos de lá e fomos andando pela Oscar Freire, buscando um docinho, um sorvetinho, algo que combinasse com o pós-churrasco. Influenciada pelo “Que seja Doce”, pensei até na doceria da Carole Crema, mas ela já estava fechada no horário que saímos. Acabamos comprando uns chocolates na Cristallo e depois seguimos para a Kopenhagen da Oscar Freire, que é também cafeteria. O mais interessante: passando outro dia, vi que no outro lado da rua, praticamente, fica a Carlo’s Bakery de São Paulo. Passamos de Uber em frente e havia uma fila que certamente me faria desistir de provar o famoso canoli. Fomos para o hotel dormir, porque o dia seguinte já estava com agenda cheia também!

2º dia – Parque da Mônica e refeição no Applebee’s

IMG_2180

O Parque da Mônica era o programa preferido da criançada, antes mesmo de chegar a São Paulo. E não decepcionou. Vou falar mais sobre ele nesse post aqui.

Saímos de lá, para variar, bem cansados. Apesar de haver um Outback no shopping onde fica o parque, optamos por ir a algum lugar diferente do que podemos achar em Brasília – e que tivesse uma brinquedoteca. Optamos pelo Applebee’s do Itaim, pois vimos que era razoavelmente próximo do hotel e havia brinquedoteca. Mas chegando lá, a decepção: a brinquedoteca era ínfima, não despertou interesse nenhum. Comemos e partimos. Na data que estava escrevendo esse post, nem encontrei essa unidade no site do Applebee’s… Será que fechou? Enfim… Dormimos cedo, porque o dia foi puxado. Mas deu aquela sensação boa, de dever cumprido (e comprido) – e eu tive a exata noção de como preciso trabalhar meu preparo físico para acompanhar o ritmo da minha filha…

3º dia – Museu da Imaginação, Praça São Lourenço o e Bella Paulista

O Museu da Imaginação havia aparecido nas minhas pesquisas sobre o que fazer com crianças. É um lugar novo, então não tinha muita referência sobre o lugar… Mas foi interessante e vou detalhar a experiência em breve.

IMG_2193

Saindo de lá, fomos almoçar no Praça São Lourenço… E é um lugar que eu super recomendo – desde que você faça reserva! E nós não tínhamos feito… Resumo da ópera: ficamos umas duas horas esperando para sentar. E quem me conhece sabe que isso vai totalmente contra os meus princípios: esperar para comer… Mas, numa cidade que não é a minha, onde tudo é longe, com crianças e em pleno feriado… foi inevitável.

A vantagem: o restaurante é bem bacana, tem laguinho com carpas, casa na árvore… E tinha brinquedoteca com animadores. E o melhor: na área de espera, deixaram fazermos pratos para as crianças. Dessa forma, a turma mais aflita por comida foi atendida, o que tornou a espera menos pior.

Pudemos também pedir um chopp e uma caipirinha enquanto aguardávamos… e nos servimos de uns aperitivos do buffet também. Resumindo: é um restaurante bacanérrimo para um almoço de família, havia comida boa e variada, muitas sobremesas…

Mas, vá com reserva, porque é o tipo de lugar que reúne hordas de famílias para almoçar – com razão, eu entendi o motivo. O atendimento é super cordial, a comida é boa e o ambiente muito legal! Fica a dica: vá ao Praça São Lourenço – mas reserve.

Para fechar a noite, fomos ainda fazer um lanchinho na Bella Paulista. É uma padaria a curta distância do hotel – fomos caminhando. Encerramos a noite depois de pão na chapa, trufinhas de chocolate e chopp para os grandinhos! E não se engane: lá também tinha fila de espera! Mas, por sorte, amigos chegaram antes e conseguimos nos acomodar rapidamente (o fluxo também gira rápido, não é um lugar onde as pessoas se demoram tanto). Ah, e ela funciona 24 horas, de acordo com as informações que vi no site.

No dia seguinte, partimos cedo para Congonhas, infelizmente a aventura paulistana chegou ao fim. Mas fiquei com gostinho de quero mais! Só de passar nas ruas da cidade você vê lugares super convidativos!

Nos hospedamos na região da Bela Cintra, no Quality Suites, um hotel que era um esquema de flat, o que atende bem quando se viaja com crianças. E o melhor: eles conseguiam acomodar a configuração dos nossos familiares: 2 adultos e 3 crianças. Eu que acompanho a saga dessa família em viagens sei o quanto é complicado acomodar esse combo. Fica a dica para quem precisar desse mesmo esquema. O hotel era bom, atendeu nossas necessidades e o café da manhã também era legal. Pelo preço, achei que foi uma boa pedida.

Outra dica: só rodamos de Uber na cidade – e de Uber X. Valeu muito a pena. Porém, um amigo que mora lá explicou que em dias normais (fora de feriado) os táxis têm uma vantagem: podem circular pelos corredores expressos, e que isso faz diferença. Para nós, não fez falta, pois a cidade estava tranquila, pelo que notamos. Uber foi uma excelente opção – inclusive os motoristas todos foram muito solícitos, explicando com muita simpatia os trajetos e pontos de atenção. Não sei se foi sorte ou se a concorrência na cidade faz o serviço ser melhor. Testarei de novo para tirar a dúvida, espero…

São Paulo é uma cidade que você tem que ser clichê para elogiar… É grande, é cheia de ofertas… Cheia de opções! Eu quero muito fazer uma viagem só de casal, pois há muita coisa legal para se fazer, em termos gastronômicos e culturais! Nessa ida não deu para incluir o Masp, por exemplo! Mas São Paulo está a um voo curto de distância, então… Certamente vai entrar de novo no meu radar!

Tenho que voltar.

Preciso voltar…

O mais interessante: fomos no Museu Catavendo e no Museu da Imaginação… No dia de voltar, minha filha vira para mim e solta: “mamãe, o melhor museu de São Paulo é o Parque da Mônica!”… Amo muito a sinceridade infantil!

 

 

Um comentário em “Fim de semana em São Paulo com crianças

Deixe uma resposta