Europa · França

Disneyland Paris – Oui, nós temos Mickey

Um pedido feito por uma querida me fez revisitar uma viagem deliciosa que fiz em 2009: minha visita a Paris! Em agosto daquele ano fui conhecer a cidade luz, e claro que como boa amante da turma de seu Walter, a Disneyland Paris não poderia ficar de fora.

 

 

 

Pois tenho uma amiga-irmã que está indo para Paris e vai levar junto a pequena filhota que tem apenas um aninho!
Vamos tentar arrumar um jeitinho gostoso de a bela pequena conhecer a Disneyland Paris?
Bom, desde que fui, muitas coisas mudaram. Há novas atrações, mas a logística para conhecer acredito que seja ainda a mesma.

Quando fui, o melhor acesso era de metrô! Que máximo, ir de metrô para a Disney. Pois pesquisei e essa continua sendo uma opção viável! A viagem dura em torno de 30 minutos saindo da área central de Paris, e a estação lá é muito pertinho, logo vai-se a pé para os parques. Nesse link ainda há referências de como se chegar lá de carro, bem como dicas de transporte direto do aeroporto.

 

Chegando lá, há dois parques: a Disneyland propriamente dita e o Walt Disney Studios Park. Quando fomos, deu pra fazer os dois parques no mesmo dia, até porque não estávamos com criança, logo o dia rende porque a gente anda mais, consegue fazer as coisas com mais intensidade…

Algumas atrações são as “mesmas” dos parques de Orlando, como It’s a small world, Piratas do CaribeSpace Mountain e o Peter Pan na Disneyland e a Rockin Roaller Coaster e Torre do Terror no Walt Disney Studios Park. Isso é motivo para não ir? Claro que não. Até porque a gente sabe que a Disney a gente vai e repete o quanto pode, porque é sempre muito bom!

Esperando o elevador mais top do mundo

 

 

Ah, e aquela dica legal: sempre bom dar uma olhada nas atrações que estão fechadas para reformas, pois pode ser que calhe de ser exatamente na sua vez. Quando pesquisava para montar esse post, a Big Thunder Mountain Railroad francesa estava fechada… Sempre bom pesquisar. Dá para olhar o calendário de funcionamento do parque com essas informações detalhadas aqui! E aqui, onde anunciam os preços dos tickets, há também um link para dizer o que está em reforma e quando:

 

 

Fonte: aqui

E qual o preço dos ingressos? O custo dos ingressos é mais uma coisa a se pesquisar com antecedência. Quem se planeja, sempre consegue economizar.
Na data que pesquisei esse post havia uma promoção, com ingressos a partir de 47 euros para os dois parques, mas até uma data limite e com dia marcado. O ingresso “normal”, daquele para você ir sem restrição custava 90 euros para os dois parques num dia e 75 euros para um parque no dia. Comprando antecipadamente, havia desconto. Há preços também incluindo transfer de Paris para os parques.

Bom, em primeiro lugar: dá para programar certinho a data que vai visitar? Se sim, que tal tentar o que eles chamaram de Miniticket? Ingressos mais baratos, mas com data marcada. O risco: vai que nesse dia cai um pé d’água daqueles… Dá para olhar a previsão do tempo e tentar se programar. De qualquer modo, informam que se for necessário você pode fazer um upgrade para o ticket normal, pagando a diferença. Talvez valha a pena arriscar. Se não dá para arriscar, que tal comprar online só para garantir alguns euros de desconto? Pesquise as restrições, pois sempre existem, para não perder o dinheiro!
Importante: os ingressos que incluem o transfer, de acordo com o site, são “non-exchangeable, non-refundable and non-modifiable”; minha tradução livre: não podem ser trocados, devolvidos ou modificados. Logo, o risco é maior ainda. E você também tem que marcar o dia da visita e, pelo que entendi, não pode mudá-lo.

Quem liga para dieta quando está na Disney…
Na França então…

Como o caso específico do pedido da minha amiga fala sobre a ida com uma pequena de 1 aninho, uma coisa a se considerar é dormir lá para não ter que sacrificar tanto a criança. Há diversos hotéis nos arredores do parque, no próprio site há indicações de hotéis próprios e hotéis indicados no entorno.

Lista de hotéis: aqui

Se a intenção for dormir na área, talvez seja melhor programar a visita nos primeiros ou últimos dias da viagem, afinal, sair no meio de uma estadia de hotel para depois voltar – ou ainda pagar diárias para não usar – são coisas complicadas em tempos de dólar/euro tão caros.

Mapa dos hotéis: aqui

 

 

Com relação às atrações, especificamente para os petit, há muita coisa, como uma boa Disney deve ter. No site, basta escolher a opção (em inglês) “preschoolers” e avaliar. Não deixaria de ir no Dumbo, no Peter Pan e, claro, tentar uma foto com o chefe – Mickey! Também o “It’s a Small World” é imperdível para a galera pequenina! No Walt Disney Studios há menos opções para esses pequenos, mas vale a pena conhecer o parque também, afinal, sempre há coisas lindas para se ver! E os adultos merecem se divertir também!
Claro que os shows e paradas sempre são uma boa pedida, e encantam crianças e adultos. Na semana da pesquisa, havia a “La Magie Disney en Parade” (Disney Magic on Parade) às 17:30! O Frozen parece que virou onda lá também, pois há o Sing Along e um Royal Welcome (ver horários nos dias em que se vai visitar, porque variam da semana para o fim de semana). E também os Jedis têm lugar: há o Jedi Training Academy diariamente. Aquela dica que vale para todo e qualquer parque temático: ao chegar, busque o mapa e a programação do dia, para se organizar de acordo com a oferta de shows e parados do dia.
Outra dica legal: lá também tem FASTPASS! Mas não agendado, como os de Orlando. Pelo que vi, ainda são aqueles que você põe o ingresso numa máquina e ela devolve um voucher com o horário. Você pode retirar outro depois de passado o horário previsto no fastpass que ainda estiver em vigor – ou duas horas após o horário previsto. Legal que hóspedes de alguns hotéis recebem um fastpass vip, que permite a utilização livre, exceto no horário das 13 às 16. Mais um motivo para avaliar a estadia por ali.
Para ganhar tempo, se for possível, lembre também de utilizar as filas de single rider – lá também existe esse recurso, que eu sempre recomendo que seja utilizado ao máximo.
Não achei no site referências ao baby swap – mas acredito que deve funcionar do mesmo jeitinho que nos parques de Orlando (vou pesquisar mais e se conseguir informações oficiais, posto aqui).

Quando fui, em 2009, nem de longe imaginava que um dia ia ter um blog… O amor já existia, mas nunca imaginei que estaria em 2016 tentando dar dicas de uma forma mais organizada…

Quando comentei no Instagram que ia fazer um post, a Andreza disse que já tinha feito um monte! E na Andreza, vocês sabem, eu confio! Escrevi esse texto antes de ler o dela, para não influenciar! Mas tenho certeza que as dicas dela serão certeiras e completas, pois ela já é “profissa” na blogagem Disney! Então, além desse pequeno levantamento, leia no blog querido da Andreza: Post índice com as dicas de Paris aqui! Muita, mas muita coisa legal!!!
Espero em breve poder ir pessoalmente atualizar minhas dicas in loco… Mas acho que talvez demore, porque existem várias outras Disneys para conhecer antes de repetir a de Paris! E, claro, meu coração bate no Brasil, mas vive em Orlando! Tenho certeza que será minha próxima parada Disney! Mesmo assim, espero que esse pequeno relato ajude os viajantes que vão desbravar as terras europeias!

Bon voyage!

Deixe uma resposta