Disney

Papai Walt Disney

 

Quando era pequena – quer dizer, mais nova, porque eu nunca fui pequena – fui ao Walt Disney World pela primeira vez e me encantei. Não sei o que foi. À época havia apenas o Magic Kingdom e o recém inaugurado Epcot, mas eu fui fisgada. Para terem uma ideia, eu tinha 9 anos e na volta pedi para minha mãe abrir uma poupança para eu guardar o dinheiro do lanche da escola para poder ir de novo… Desse jeito.

 

 

Amor maior do mundo 

A volta veio quase três anos depois. Lembro que um primo da minha mãe tinha uma agência que fazia excursões regulares. Lembro como se fosse hoje de eles chegando lá em casa e nós reunidos na sala para eles nos entregarem as passagens para uma viagem que meus pais disseram que seria para Foz do Iguaçu. Mas quando abri um envelope, estava escrito: Flavia e Luciana vão para a Disney. Eu chorei. Mesmo. Do alto dos meus quase doze anos (faltava um pouco mais de um mês) eu chorei. E essa excursão foi ainda melhor, pois foi um esquema mais organizado – da primeira vez que fomos, como comentei aqui, o guia estava em lua-de-mel e não nos deu nenhum suporte nos parques. Eu, minha mãe e minha irmã. Sozinhas. Minha mãe não fala bem inglês. Imaginem… Mas essa segunda vez foi muito legal. Estruturada, com passeios e guias locais. Ainda só havia os dois parques da Disney em Orlando, mas dessa vez fomos ao Sea World também. Foi outro nível.

Depois disso voltei outras vezes, e a maioria por conta própria. Mas na terceira – era minha viagem de 15 anos – fui junto com a minha madrinha – que foi de guia – e toda a família dela numa excursão com 122 pessoas… Teve festa de 15 anos e tudo…Bem legal! Eu me achando o máximo por estar viajando “sozinha”. Mas na verdade estava bem guardada por meus dindos e muitos outros conhecidos dentre esses 122 passageiros!

E porque estou contando tudo isso… Porque esses dias me lembrei de uma música que minha madrinha cantava (enrolei tudo isso para chegar nela)… E que aprendi com ela… E que à época era cantada por uma bandinha de meninas que eu amava, chamada “A Patotinha”. Enfim, esses dias ela me veio demais à cabeça: a música, minha madrinha cantando e me encantando com tudo de Disney – e de Disney e não da Disney, porque estou falando agora do “Papai Walt Disney”. Quem conhecia essa música?

Papai Walt Disney 

Papai Walt Disney, estou sonhando 
Com as histórias tão bonitas que me deste. 
Entre castelos de chocolate, 
Eu ouço vozes, ao vento cantando. 

Papai Walt Disney, que alegria 
Quando o teu gênio nos criou Branca-de-Neve. 
Ai, que saudade do Zé Carioca, 
Da Cinderela, do Dumbo, do Bambi. 

Um convite para Mickey: 
Vagabundo e a Lady vão casar. 
E na festa, o Pateta, 
De pileque, vai sorrindo sem parar. 

Papai Walt Disney, não me abandones. 
O teu talento é mensagem de esperança. 
Até vovó acha uma graça 
E num instante se torna criança. 

Pato Donald furioso, 
Os sobrinhos já fizeram papelão. 
Três Porquinhos se divertem, 
Lobo Mau caiu no próprio alçapão. 

Papai Walt Disney, não me abandones. 
O teu talento é mensagem de esperança. 
Até vovó acha uma graça 
E num instante se torna criança. 

Papai Walt Disney, te agradecemos. 
Tu ficarás sempre 
Em nosso coração…. 

Eu, a pequena e Papai Walt Disney

O dólar está caro, os impostos vão aumentar… A distância aumentando também. Mas o amor continua…
Ando bastante sem tempo para parar e trazer novidades, mas espero conseguir em breve! Há tanta coisa bacana acontecendo – que a gente até esquece que ir à Disney está cada vez mais caro…

Bom, continuo com esperanças em dias melhores.

Quem sabe…

Um comentário em “Papai Walt Disney

Deixe uma resposta