Disney · EUA

Correndo com o Dunga – Maratona Disney

Correr é uma atividade que cativa quem começa a praticar, vicia e faz querer mais. Bom, em muitos casos é assim! Eu gostava de correr, agora estou parada devido a sentir muitas dores quando corro, especialmente no joelho. Nos meus áureos tempos eu cheguei a fazer 5km para 32 minutos. Se com esse tempo eu estou no pelotão do “turtle pace”, há em contrapartida uma turma que “senta a bota”!

De olho nesse grupo – ou porque é um grupo que se expande a cada dia – a Disney criou diversas provas de corrida! Hoje, há até um site específico, o RunDisney, que congrega as informações sobre as diversas corridas organizadas pelo Mickey.

No começo de cada ano há um final de semana de maratona. Várias provas, inclusive corridas menores para famílias conseguirem fazer juntas. E também há aquelas provas que requerem muito suor… Uma dessas é o chamado DESAFIO DO DUNGA – Doopey Challenge. E em que consiste esse “desafio”?

  • Uma corrida de 5km
  • Uma corrida de 10 km
  • Uma meia maratona 
  • Uma maratona – em todos os seus 42,184 km
Isso em sequência… Uma a cada dia. Desafio ou loucura? Desafio, pois não tem para quem quer: as inscrições se esgotam em geral no dia em que são abertas. Para 2016 já não tem mais vaga nessa corrida quádrupla. Só há vagas (na data desse post) para a Maratona. 
 
Mas como é participar de uma prova de 4 dias consecutivos? Como se preparar para isso? Qual a sensação depois?
 
Perguntei isso para a minha amiga Fernanda, que completou o desafio em 2015! E com isso ela alcançou de uma vez só duas metas incríveis: completou a primeira maratona da sua vida e ainda fez isso no Desafio do Dunga. De se tirar o chapéu! 

A Fernanda foi super querida e se dispôs a conversar comigo para que eu trouxesse para o blog informações para a galera que “come chão” e que, ao mesmo tempo, é chegada na Disney. 

Então, vamos ao “post – maratona”:

Pelo Facebook eu ia acompanhando a evolução – e o aumento da dificuldade da brincadeira, como se vê claramente pelos posts abaixo…
 
 
E, enfim, a consagração:
 
Chegada da Maratona – completando o 42.184º metro!!!

Fernanda e o maridão parceiro – a meia-maratona já foi
Merecedora das seis medalhas recebidas

Ao final, ela ganhou seis medalhas! É uma medalha por prova; mais uma pelo Desafio do Pateta (meia maratona + maratona) e uma por ter conseguido completar o Desafio do Dunga! Além das medalhas, os participantes ganham uma camisa para cada corrida, e uma dos desafios também; total: 6 camisas. 


Bom, e as dicas?

A Fernanda se hospedou no complexo de hotéis Disney, e disse que isso faz muita diferença: lá, eles já estão preparados para atender a logística necessária dos corredores. E mais: as largadas são cedo – bem antes de os parques abrirem – então, estar perto e não precisar se preocupar com carro, estacionamento, faz diferença. Há diversos ônibus saindo para levar os grupos de corredores, então, é uma tranquilidade a mais. Além disso, as filhas dela foram também, e como já têm idade para passear sozinhas, enquanto os pais corriam, as mocinhas podiam ir para os parques se divertir! Num hotel fora da Disney essa logística ficaria bem prejudicada… 

A corrida é no auge do inverno, e ela disse que no primeiro dia sofreu, pois não estava realmente preparada para o frio que estava fazendo. Ela chegou na corrida por volta das 5 horas da manhã, horário indicado, mas a largada do pelotão dela – são estabelecidos grupos de acordo com o ritmo/pace – só foi às 7 horas da manhã. Logo, ela passou muito tempo no frio. 

No dia seguinte, sabendo disso, se agasalhou melhor. Detalhe: casaco nas corridas é item “descartável”: as pessoas vão tirando e largando no meio do caminho; depois, os itens são recolhidos e doados. Dica: você tem aquele casaco que é especial e pelo qual você tem um apego monstro? Não use! 

Correndo dentro do Epcot!!!

As duas primeiras corridas, segundo ela, foram em ritmo de festa. Famílias correndo juntas, avós e netos, pais e filhos… Pessoas correndo com bebês de meses no canguru! Muita fantasia e curtição. 

Já no dia da meia, ela disse que o clima é mais de corrida mesmo: as pessoas são mais focadas, estão mais concentradas… O número de fantasias diminui… Mas os incentivos aumentam!!! Disse que você passa e há diversas pessoas aplaudindo, dando palavras de incentivo. Os voluntários gritam palavras de apoio para os corredores e dão aquele gás adicional para comer mais um quilômetro na raça. 

No dia da maratona, ainda pegou o parque já aberto, e várias pessoas que estavam lá também param para cumprimentar e incentivar quem está na corrida. 

Quando você chega, pode deixar sua sacola com itens pessoais com a administração da corrida e recebe ao final. Mas você não pode ir para a área de largada com a sacola, logo uma saída que ela encontrou para se manter aquecida foi comprar uma manta para manter o corpo quente até a largada… Mais uma “descartável”, que vai pra doação…

Haja manta para esquentar na madrugada

Perguntei a ela a sensação de concluir a última prova (lembrando que foi a primeira maratona dela): “A sensação de que eu posso tudo!”. E essa é uma sensação recorrente nas pessoas que se dispõem a fazer uma maratona… Já ouvi variações nas palavras, mas a sensação é sempre parecida! Muito legal, não?

E o que ela faria diferente?

Bom, depois de concluir o desafio – e acho que somente por ter feito é que dá para fazer essa análise – ela disse que, se fosse novamente, não faria as quatro provas seguidas. 

E por quê? Porque foram praticamente 5 dias já em Orlando, na Disney, em função da corrida: desde a véspera da primeira corrida era preciso dormir cedo… Depois, acordar cedo, não ir para aos parques para se poupar para as provas… Quem corre nesse volume sabe o preparo que uma maratona requer. Além disso, as largadas eram cedo, logo, por volta das 4 horas da manhã  ela já tinha que estar pronta e se dirigindo aos ônibus para ir para a largada. Não dá para pensar de forma alguma, nessas condições, em bater perna em parque… Você pode gastar andando no parque uma energia que vai fazer falta lá nos últimos quilômetros das provas… 

Além disso, os custos são altos… Você vai estar na Disney e não poderá aproveitar intensamente as diversões que tanto nos fazem querer ir e voltar… Não dá para fazer tudo! Ponha na ponta do lápis e veja se a sua vontade de correr permite que você abra mão de uns 4 dias de diversão… Isso, claro, se você optar pelo Desafio do Dunga.

Isso não quer dizer que ela se arrepende, viu, gente! É só a constatação de que, se fosse novamente, faria só uma ou duas corridas: a magia de correr na Disney estaria ali, e não precisaria abrir mão da diversão nos outros dias… Porque é sério: quem corre o desafio não pode “gastar” as pernas antes das provas mais duras…

Super importante: a Fernanda se preparou para esse fim de semana de provas por mais de três meses. Ela já corre há tempos, e houve uma instensificação durante uns três a quatro meses só para esse desafio – não ache que em três meses uma pessoa que nunca correu vai estar prontinha, viu… É preciso tempo, assessoria, avaliação médica e muitas coisas mais.

A preparação dela incluiu assessoria esportiva, nutrição, fisioterapia, musculação e muita, mas muita determinação. O resultado? Você vê nas fotos abaixo!

 

 

 

O que é bacana é que ela disse que os treinos em si foram muito mais difíceis do que as provas. Passar final de semana fazendo “longão”, deixando de sair, abrindo mão de programas em família às vezes… Mas como ela se preparou bem, o resultado foi excelente: se divertiu fazendo as corridas, disse que passar pelos parques, pelos personagens correndo foi tão legal que o sacrifício realmente foi mesmo a etapa de treinos. 

E se você pensa que ela vive disso e pra isso, engano! A Fernanda trabalha, tem uma família linda, casa para administrar e além disso corre! Ela é gente como a gente! 
 
Ela é da turma do Walt Disney: acredita nos seus sonhos!
 
Legal pontuar que os brasileiros são figurinha carimbada – e com sucesso – nas maratonas da Disney! O Adriano Bastos venceu a maratona 8 vezes! Já o Fredison Costa já venceu 4 vezes, inclusive é o atual campeão: fechou a maratona de 2015 para 2h18m06s! No feminino, também uma brasileira brilhou no pódio em 2015: Giovanna Costa Martins, que fez a maratona para 2h50m20s! 
 
Tenho que confessar que sonho um dia correr uma prova na Disney… Quem sabe uma meia?
 
Como disse, as provas para 2016 já estão marcadas! Serão de 6 a 10 de janeiro de 2016. 
Mais informações aqui. Se precisar de mais tempo, há diversas outras provas ao longo do ano… Dê uma olhada no calendário do RunDisney e escolha a que se encaixa nos seus treinos, nas suas férias… na sua vida!
Se quiser começar mais de leve e gastando menos, esse ano vai ter Disney Magic Run em São Paulo, como divulgado aqui
 
Correr nos parques da Disney realmente é um sonho… Privilégio para quem conseguiu e meta a ser alcançada, quem sabe um dia!

3 comentários em “Correndo com o Dunga – Maratona Disney

Deixe uma resposta